Sir John Templeton

Da Thinkfn
Sir John Templeton
Sir John Templeton
Nascimento 29 de Novembro de 1912
Falecimento 8 de Julho de 2008
Nacionalidade Bahamiana/Britânica

Sir John Templeton (nascido a 29 de Novembro de 1912, 8 de Julho de 2008) é um investidor, homem de negócios e filantropo. Nascido nos EUA, renunciou à sua cidadania Americana em 1968 para deixar de pagar os impostos americanos. Tem neste momento dupla nacionalidade Bahamiana e Britânica, e vive nas Bahamas.

John Templeton nasceu pobre numa família do Tennessee. Logo depois da Guerra empregou-se numa corretora de Nova York. O seu primeiro desafio como investidor foi transformar US$ 10.000, pedidos emprestados ao seu chefe, em US$ 40.000 - em 4 anos. A sua estratégia foi comprar as 104 acções disponíveis no mercado Americano por um valor inferior ao que estavam a ser vendidas no início da Guerra.

Logo depois, fundou sua própria firma de consultoria. Aos 56 anos, vendeu essa firma e começou de novo com apenas um fundo – O Templeton Growth – localizado em Nassau nas Bahamas. Esse fundo tornou-se o mais rentável dos Estados Unidos por mais de 20 anos. Ao tentarmos achar as razões para o seu sucesso, encontramos no topo da lista a sua capacidade para descobrir oportunidades antes da multidão como, por exemplo, o Japão no início da década de 60 e os imóveis canadianos na década de 70.

Agora aposentado, Templeton continua a morar em Nassau, mantendo ainda um forte interesse por investimentos. Como cristão praticante, acredita que seu sucesso financeiro e conquistas filantrópicas estão intimamente ligados ao seu desenvolvimento espiritual.

Estratégia

Sir John Templeton foca-se no valor, e possui uma perspectiva global.

Templeton condensou seus princípios de investimento em 10 máximas que, até hoje, funcionam como base cultural de sua firma e processo de selecção para escolha de acções [1]:

  1. Invista pelo retorno real. O verdadeiro objectivo de qualquer investidor de longo-prazo é a maximização do retorno real após os impostos.
  2. Mantenha sua mente aberta. Nunca adopte um tipo de activo ou um método fixo de selecção permanentemente. Tente manter-se flexível, com a mente aberta e céptica.
  3. Nunca siga a multidão. Se você comprar as mesmas acções que a multidão, conseguirá o mesmo resultado que a multidão. Comprar quando todos estão a vender e vender quando todos estão a comprar requer uma grande autoconfiança, mas trás excelentes recompensas.
  4. Tudo muda. Mercados em queda têm sido sempre temporários. Da mesma forma que mercados em alta. O mercado tende a virar para cima 1 a 12 meses antes dum fundo económico e vice versa. Se uma determinada indústria ou activo se tornar popular, isso será sempre temporário e pode não voltar a ser popular durante anos.
  5. Evite o popular. Se algum método se tornar popular, mude para um método impopular. Muita gente junta acaba por destruir qualquer fórmula de selecção de acções ou qualquer tentativa de "market timing".
  6. Aprenda com seus próprios erros. "Desta vez é diferente" são as quatro palavras mais caras da história do Mercado.
  7. Compre em épocas de pessimismo do Mercado. Os Bull markets nascem no pessimismo, crescem no cepticismo, amadurecem no optmismo e morrem na euforia. A hora do maior pessimismo é a melhor hora de se comprar, e a hora do maior optimismo é a melhor hora para se vender.
  8. Procure valor e pechinchas. Demasiados investidores se preocupam com as perspectivas e a tendência, por isso fará mais dinheiro a procurar o valor. No Mercado de acções, a única forma de encontrar pechinchas é quando todos estão a vender.
  9. Procure por todo o mundo. Para evitar ter todos os ovos no cesto errado, na altura errada, todos os investidores devem diversificar-se. Se procurar por todo o mundo irá encontrar mais pechinchas do que se fixar a apenas um país.
  10. Ninguém sabe tudo. Um investidor que tem todas as respostas nem entendeu as perguntas.

Existem quatro factores-chave a considerar numa análise fundamental de qualquer empresa:

  1. O PER versus outras empresas;
  2. Margem operacional, principalmente se apresentar crescimento;
  3. Valor de liquidação, ou seja, O preço que receberia caso a firma fosse vendida;
  4. A taxa de crescimento dos lucros e, especialmente, a consistência do crescimento. Em geral, evite comprar companhias em que os lucros apresentem maus resultados por dois anos consecutivos. Mantenha-se longe de firmas que estão a crescer de forma insustentável.

Factores para escolher onde investir:

  1. Evitar países com políticas socialistas e com elevada inflação;
  2. Preferir países com taxas de crescimento de longo prazo altas;
  3. Preferir aqueles países que mostram uma tendência de liberalização económica, ou seja, privatizam, possuem legislação antiintervenccionista, maior abertura e transparência em assuntos ligados ao mercado accionista, etc.

Resultados a longo prazo

No período de 1954-2000, O Templeton Growth Fund conseguiu um retorno médio de cerca de 15% ao ano.

Um dos melhores negócios de Templeton foi investir pesadamente no Japão em 1962. Este tornou-se o mercado mais dinâmico de todo o mundo até o ano de 1990.

Leitura adicional

Referências