Recomendações de analistas

Da Thinkfn

As recomendações de analistas geralmente substanciam-se numa opinião segundo uma escala, e eventualmente, num price target.

Escalas de opinião

Existem duas escalas mais comuns, uma que tende a classificar os titulos como se de uma opinião absoluta se tratasse, sendo essa escala constituída geralmente por:

  • Strong Sell
  • Sell
  • Hold
  • Buy
  • Strong Buy

(ou equivalentes)

E outra, em que o que se classifica é o comportamento esperado para o título, versus o mercado. Ou seja, é uma opinião relativa. Essa escala é geralmente constituída por:

  • Underperform - espera-se que o titulo perca para o mercado
  • Market perform - espera-se que o titulo tenha o mesmo comportamento do mercado
  • Outperform - espera-se que o titulo bata o mercado

(ou equivalentes)

De notar que um outperform não significa que um titulo suba, pode por exemplo significar que caia menos que o mercado.

Enviezamentos

Recomendações

Historicamente, os analistas em geral atribuem muito mais Buys e Strong buys do que qualquer outra notação. A razão para tal, prende-se com vários factores, entre os quais:

  • A necessidade que os bancos de investimento têm de captar negócio de corporate finance, que sairia dificultada se emitissem opiniões negativas sobre os seus potenciais clientes;
  • A necessidade que os analistas têm de manter o acesso às empresas que cobrem, que sairia prejudicado se estes emitirem opiniões negativas;

Após a bolha das tecnológicas e respectivo crash, algumas casas impuseram quotas para cada tipo de recomendação, principalmente nos ratings relativos, de forma a credibilizar as análises.

Em 2008, um estudo académico revelou ter detectado alterações no conteúdo histórico da base de dados I/B/E/S, das recomendações de analistas. Ao comparar sete cópias completas da base de dados, realizadas em diversas alturas entre 2000 e 2007, foi verificado que entre uma cópia e a seguinte entre 1,6% e 21,7% das recomendações tinham sofrido alterações de natureza não aleatória, que favoreciam significativamente os analistas.[1]

Estimativas

Um outro enviezamento bem conhecido quanto aos estudos de research, tem a ver com as estimativas de EPS (resultados por acção) para o trimestre mais próximo (ou acabado de reportar). As estimativas, como um todo, são virtualmente sempre subestimadas, ou seja, os resultados da maioria das empresas saem consistentemente acima das estimativas, como exemplifica o gráfico abaixo.


EPSestvsreal.png

Referências

  1. Ljungqvist, Alexander, Malloy, Christopher J. and Marston, Felicia C. (16 Abr 2008). "Rewriting History" (em inglês). SSRN, AFA 2007 Chicago Meetings Paper. 

Links relevantes

Ver também