ROCE

Da Thinkfn
ROCE.PNG

Return on Capital Employed (ROCE), Retorno do capital empregue, é um rácio financeiro utilizado como medida dos retornos económicos que uma empresa obtém, tendo em conta o capital que emprega para os obter. Também pode ser visto como uma medida da eficiência com que o capital empregue é utilizado para gerar resultados e em que medida é que esse retorno cobre o custo do capital.

Fórmula

ROCE\ =\ \frac{Resultados\ Operacionais\ Antes\ de\ Impostos}{Capital\ empregue}\ =\ \frac{EBIT}{Total\ Activo - Passivo\ corrente}

O ROCE compara os resultados com o capital de longo prazo (capital próprio e passivo de longo prazo) investido na companhia.

O capital empregue tem muitas definições. De forma geral, é o investimento em capital necessário para um negócio funcionar, aqui representado pelo total do activo menos o passivo corrente, ou de outra forma, o imobilizado mais o fundo de maneio.

Desvantagens do ROCE

A principal desvantagem é que o ROCE mede os retornos contra o valor contabilístico dos activos. À medida que estes vão sendo amortizados, o ROCE subirá mesmo com a manutenção do cash flow. Assim, negócios mais antigos com os activos mais depreciados tenderão a ter um ROCE mais elevado do que negócios recentes, mesmo que estes últimos sejam superiores.

Outra desvantagem é que o cash flow é afectado pela inflação e o valor contabilístico dos activos não, pelo que as receitas e resultados tenderão a crescer com a inflação e o capital empregue não, levando a uma inflação do ROCE.

Variante

Uma outra forma de calcular o ROCE é calcular o Return on Average Capital Employed (ROACE), que mede o retorno sobre a média do capital empregue. Em vez de utilizarmos o capital empregue reportado, utilizamos uma média do capital de abertura e fecho do período em análise.

Ver também

  • ROE (Return on Equity)
  • ROIC (Return on invested capital)
  • EVA (Economic Value Added)