Kenneth L. Fisher

Da Thinkfn
Kenneth L. Fisher
Kenneth L. Fisher
Nascimento 1950
Nacionalidade EUA Flag of the United States.png

Kenneth L. Fisher (nascido em 1950) é o fundador, chairman e CEO da Fisher Investments, uma firma de gestão de carteiras com sede em Woodside, California. Fisher escreve a coluna "Portfolio Strategy" na revista Forbes, e contribui para outras revistas financeiras e de notícias, é autor de quatro livros e tem publicado estudos em Finança comportamental.

Ken Fisher é o filho mais novo dos dois filhos de Philip Fisher. Depois de se graduar da faculdade em 1972, foi trabalhar com seu pai por um ano. Continuou a acompanhar seu pai nas visitas até 1982, aprendendo na prática a arte de entrevistar administradores e funcionários. Neste meio tempo, criou e começou a trabalhar na sua própria firma, baseado numa filosofia de investimento em valor bem diferente do seu pai. Fisher tem preferência por acções extremamente baratas, "por serem melhores que a péssima imagem que possuem." Fora isso, sempre empregou a filosofia contrária, no mesmo espírito do seu pai. Só que ele normalmente vende, de uma só vez, quando a reputação daqueles papéis volta aos níveis normais.

Ken herdou do pai o conhecimento e a compreensão do sector de tecnologia Americano, onde conseguiu muitos de seus grandes sucessos. Ken também ficava satisfeito por possuir papéis de firmas americanas e europeias tradicionais como, por exemplo, tabaqueiras. Há pouco tempo, Ken abriu um escritório em Londres para facilitar seus negócios com a Europa.

Estratégia

Primeiro faça uma lista das “super-companhias”:[1]

"Uma super-companhia é um negócio que pode gerar free cash flow bem acima da média."

As características peculiares de uma super-companhia são:

  • Orientação para o crescimento – Uma administração obcecada com crescimento, cuja cultura passa e é compreendida pelos subordinados.
  • Excelência em marketing - Uma habilidade especial em descobrir as necessidades dos seus clientes e satisfazê-las.
  • Possuir uma vantagem injusta – Como, por exemplo, ser o produtor de menor custo no sector.
  • Possuir relações com o pessoal criativas– em especial, ouvir as ideias dos seus colaboradores
  • Possuir os melhores controlos financeiros - Com controlos e processos de excelência.

A maioria das companhias possuem ciclos produtivos. Por exempplo, as vendas de um produto “A” começam a cair antes de as vendas de um recém criado produto “B” começarem a mostrar resultado. Normalmente isto causa um "rompimento", ou seja, as vendas caem, os lucros transformam-se em prejuízos e o preço da acção cai. Este é o momento preciso para se começar a comprar os papéis da companhia.

Companhias recorrentes em prejuízo são difíceis de se avaliar. Para resolver este problema utilizamos o índice Price/Sales (Preço/Vendas):

Price/Sales =  Capitalização bolsista / Vendas
(exemplo: 100M cap / 200M vendas = 0.5)

Se você puder identificar uma "super-companhia":

  • Passando por uma revolução;
  • Com baixo Price/Sales;
  • Com novos produtos a caminho e a passar por um aumento de vendas;

Você poderá estar a olhar para uma "super-acção", uma oportunidade única de aumentar seu capital de 3-10 vezes num período de 3-5 anos.

Siga as seguintes regras para comprar e vender:

  • Regra Nº1: Evite acções com Price/Sales maiores que 1.5. Nunca compre uma acção com Price/Sales maior que 3;
  • Regra Nº2: Procure incansavelmente por companhias com Price/Sales menores que 0.75;
  • Regra Nº3: Venda os papéis de qualquer super-companhia se o seu Price/Sales subir para entre 3.0 e 6.0;

Venda também se uma companhia deixar de ter as características de uma super-companhia.

Uma verificação extra que pode ser efectuada nas super-acções é o rácio Price/Research:

Price/Research = Capitalização Bolsista / Gastos em pesquisas e desenvolvimento
(exemplo 100M cap / 20m P&D = 5)

P&D não é necessariamente uma actividade sofisticada. Ela pode ser o trabalho de desenvolvimento básico de um produto. A idéia é pagar por pesquisas que poderão transformar-se em bons lucros no futuro, enquanto ainda estão baratas.

Desta forma:

  • Regra Nº1: Nunca compre uma companhia que esteja com um Price/Research maior que 15;
  • Regra Nº2: Procure por super-companhias com um Price/Research entre 5 e 10;

Sugestões de Pesquisa:

  • Price/Sales pequenos funcionam melhor com companhias pequenas. Companhias grandes tendem a ter um Price/Sales de 1.0 ou menos;
  • Price/Research também funcionam bem com super-companhias não relacionadas com o sector de tecnologia.

Referências

  1. Fisher, Kenneth, "Super Stocks", 1984