John Neff

Da Thinkfn
John Neff
John Neff


John Neff foi o gestor do fundo Vanguard Windsor. Com Neff à cabeça do fundo durante mais de 30 anos, este apareceu rotineiramente nos melhores 5% dos EUA. É conhecido como um investidor em valor, que procura companhias sólidas que distribuam dividendos.

Neff é conhecido como o "profissional dos profissionais", porque diversos gestores de fundos confiaram-lhe os seus activos na crença de que estariam em mãos seguras. Essa confiança foi justificada pelos seus resultados excepcionais, ano após ano.

Neff estudou marketing industrial, mas frequentava aulas nocturnas para conseguir uma graduação em finanças. Em 1954 tornou-se analista de investimentos do National City Bank of Cleveland. Tanto no banco como na sua próxima firma, a Wellington Management, desenvolveu um estilo de investimento baseado em valor, modelado nas lições aprendidas de Benjamin Graham. Neff aplicou os seus conhecimentos em três fundos - Windsor, Gemini e Qualified Dividend – com resultados espectaculares até a sua reforma em 1995.

Era um homem destemido e encorajava sempre os seus colegas a colaborar nas suas decisões. Neff nunca procurou publicidade na sua carreira. A partir da publicação das suas memórias — John Neff on Investing (1999) — conseguiu amplo reconhecimento.

Estratégia

Neff descreve-se a si mesmo como um investidor em "PERs baixos". Ele procura acções que estejam baratas em relação à soma do crescimento em lucros mais o dividend yield. Chama-lhe a "relação terminal" ou, na versão popular, "quanto se obtém pelo que se paga". Também lhe podemos chamar índice GYP[1]

GYP = (crescimento + yield de dividendos /  PER)

Neff recomenda que se compare o índice GYP de um papel ou da sua carteira com o do mercado.

  • Exemplo
Previsão da taxa de crescimento do EPS (%)
mais o dividend yield previsto dividido pelo PER previsto
= (7 + 5) / 10 = um GYP de 1.2
Previsão da taxa de crescimento do lucro médio do mercado em EPS (%) 
mais o dividend yield médio previsto do Mercado dividido pelo PER médio previsto para o mercado
= (15 + 2) / 28 = um GYP de 0.6

Baseado nos números acima chegamos à conclusão de que a sua carteira deve estar duas vezes mais atraente do que o mercado (isto é apenas um exemplo, a relação na realidade deve ficar muito mais próxima).

Evite introduzir na carteira papéis que reduzam significativamente a sua atractividade, quando comparada com os índices do mercado. Em vez disso, estabeleça um preço objectivo que represente o seu GYP antes da compra da acção e espere que o papel caia até esse preço.

Se duas companhias apresentam um retorno de 14%, mas a companhia "A" apresenta 14% de crescimento e nenhum dividendo, e a companhia "B" apresenta um crescimento de lucros de 7% mais um dividend yield de 7%, é melhor escolher a Companhia "B", porque o dividendo torna o resultado mais previsível.

Seguindo estes princípios, Neff manteve-se fiel ao seu estilo de investimento, baseado em 7 critérios de selecção:

  • Baixo PER;
  • Crescimento de lucros superior a 7%;
  • Dividendos confiáveis e, preferencialmente, ascendentes;
  • Um retorno bem maior do que a média (crescimento + dividend yield) em relação ao PER.
  • Nenhuma exposição a resultados cíclicos (ver artigo Trading - Acções cíclicas) sem um PER baixo que o compense;
  • Companhias sólidas em indústrias em crescimento;
  • Fundamentais sólidos para investimento;

Um bom lugar para se procurar ideias são as cotações de acções em jornais de finanças que atingiram novos mínimos. Muitas, para não dizer quase todas, são investimentos medíocres. Mas, algumas vezes, papéis de companhias excelentes caem para preços muito baixos, devido a más notícias. Aplique o teste dos 7 critérios de selecção para ver se elas correspondem a esse perfil.

Não procure acções de crescimento plenamente reconhecidas pelo mercado. Os seus PERs são puxados para cima para níveis ridiculamente elevados. Isso aumenta o risco de um colapso repentino na cotação da acção.

Mantenha-se firme na sua estratégia de venda, ou corre o risco de perder todo o lucro. Existem duas razões básicas para vender:

  • Quando os fundamentais se deterioram;
  • Quando o preço chegar ao valor que você estipulou.

O importante é ficar de olho nas perspectivas de lucro e na taxa de crescimento dos últimos 5 anos. Se elas começarem a derrapar, venda.

Preste mais atenção ao índice GYP da sua carteira do que ao do mercado. Mas, se o mercado ficar tão caro que não consiga encontrar novas compras que valham a pena, é admissível converter 20% da carteira em dinheiro até que novas oportunidades apareçam.

Os melhores lucros são efectuados após períodos de pânico.

Resultados de longo prazo

O retorno médio obtido pelo Windsor Fund durante os 32 anos de gestão de Neff foi de 13.7%, contra um retorno médio de 10.6% do S&P500.

Referências

  1. Neff, John, "John Neff on Investing", 1999.

Links relevantes